Governadores pedem coalização com iniciativa privada pelo desenvolvimento sustentável
14/11/2017 - 0h20 em Notícias

Após o debate sobre sustentabilidade em áreas de manguezais, no Espaço Brasil, o governador Simão Jatene reiterou no encontro promovido pelo GCF Task Force que "se a preservação da floresta ajuda a produzir vida para o planeta, isso precisa ser considerado"

 

Após participar de debate sobre sustentabilidade em áreas de manguezais, no Espaço Brasil na tarde desta segunda-feira (13), o governador Simão Jatene cumpriu outra agenda de discussões e busca de parcerias durante a programação da COP 23, a Conferência Mundial do Clima, da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada em Bonn (Alemanha). Jatene foi convidado para abrir o primeiro painel do encontro promovido pelo GCF Task Force, a Força Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas.

No encontro também estiveram presentes, além de governadores dos países que formam o GCF, investidores privados e representantes de Ongs internacionais que possuem trabalhos e projetos na área do desenvolvimento sustentável, o diretor do Earth Innovation Institute, Daniel Nepstad. "O Pará tem feito um esforço reconhecido no mundo todo para o combate ao desmatamento. E fica cada vez mais claro, dentro das posições que o Estado vem assumindo, que esta é uma preocupação da gestão pública, e que sempre leva em conta a questão da sustentabilidade”, destacou Daniel Nepstad.

De acordo com Simão Jatene, a lógica para que o desenvolvimento sustentável passe do discurso à prática perpassa por um maior protagonismo dos estados subnacionais. "Muito foi feito até aqui, mas, agora, precisamos ir além. E isso só será possível se todos compreenderem que a Amazônia tem um duplo papel: ao mesmo tempo em que ela deve prestar serviços ambientais em escala planetária, também deve servir de base material de vida digna para a população que ali vive", destacou Jatene. Ou seja, preservar a floresta é tão importante quanto desenvolver práticas envolvendo a socioeconomia e as populações locais. "Precisamos tirar a palavra produção dos manuais de economia. E, se a preservação da floresta ajuda a produzir vida para o planeta, isso precisa ser considerado. Neste sentido, a cooperação entre todos, incluindo o esforço pelas ações de desenvolvimento sustentável com a iniciativa privada, passa a ser vital", destacou o governador do Pará.

Os demais participantes da mesa destacaram a observação que o governador Jatene fez ao final de seu pronunciamento. "Precisamos lembrar que estamos todos na mesma nau, não importa se viajamos no convés ou no porão. Por isso, ganha cada vez mais relevância o fato de que é fundamental dar universalidade ao saber local e permitir ao local o acesso ao saber universal", comentou Jatene.

Para o governador Victor Noriega, de San Martin, no Peru, o diálogo com a iniciativa privada é o próximo passo a ser tomado. "O investimento privado pode ajudar no desenvolvimento. Apenas investimento público não vai mudar a situação. É condição básica que exista uma coalizão público-privada e com grandes países desenvolvidos que possam cooperar nesse esforço, discutindo com os governos subnacionais novas parcerias e possibilidades, destacou Noriega. Também participaram do debate "Crescimento verde e cadeias de abastecimento sustentáveis" os governadores Manuel Gambini, de Ucayali (Peru), e Gilmer Horna, do Amazonas (Peru).

O debate encerrou com Bjorn Rask Thomsen, da empresa Denofa, da Noruega, como representante do setor privado. "Concordo com a colocação do governador Jatene, de que estamos no mesmo barco. É fato que é necessário agir em curto prazo, sendo realistas, apostando em projetos sustentáveis, uma vez que as empresas querem investir em áreas que sejam seguras para suas marcas quanto à questão da sustentabilidade”, afirmou.

Em seguida, foram realizados outros debates, incluindo participação de outros estados brasileiros, como o Acre, com governador Tião Viana, Roraima, com a governadora Suely Campos, e Rondônia, representado pelo vice-governador Daniel Pereira.

 

Por Daniel Nardin

COMENTÁRIOS