Detentos do Complexo de Americano receberão atendimento especializado
06/12/2017 - 5h25 em Notícias

Com a obra, o estado garante atendimento médico especializado a quase seis mil presos sob custódia

O Governo do Estado entrega até o final do ano a nova Unidade Básica de Saúde (UBS), que vai funcionar anexa ao Complexo Penitenciário de Americano, no município de Santa Izabel do Pará. Com a nova obra, o estado garante atendimento médico especializado a quase seis mil presos sob custódia, nas nove unidades existentes no Complexo Penitenciário de Americano, o maior do estado.

O local fica em uma unidade anexa do Hospital Geral Penitenciário (HGP), que atende os detentos com transtornos mentais. A UBS já está habilitada para receber recursos da Política de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP), que destina investimentos e recursos à Unidades Básicas de Saúde que funcionam dentro dos presídios. O valor destinado será de mais de R$ 150 mil reais.

A UBS contará com uma equipe de 10 profissionais especializados em clínica geral e cirurgia, traumatologia e ortopedia, oftalmologia, psiquiatria, cardiologia, dermatologia; tisio-pneumologia, urologia, endocrinologia e infectologia.

Também serão oferecidos exames e serviços de apoio e diagnóstico, com procedimentos de patologia clínica, radiodiagnóstico, ultrassonografia e eletrocardiograma. A primeira UBS nesses moldes no estado foi inaugurada no Centro de Referência Feminino (CRF), em Ananindeua.

“Com a UBS a gente vai ter uma maior facilidade de identificar doenças como diabetes, hanseníase e tuberculose. Com esse trabalho de assistência básica dentro dos presídios, em um local especializado para atender e tratar, o atendimento vai sendo multiplicado, inclusive às famílias dos detentos, contribuindo assim com a saúde, como um todo”, disse Michelle Holanda, coordenadora de saúde prisional do Sistema Penitenciário do Estado.

Estrutura - A UBS tem 36 salas em uma área total de 1.158m². O valor do investimento na obra de estruturação, que começou no segundo semestre deste ano, foi de R$279.817,09, envolvendo a parte elétrica, hidráulica e estrutural.

A obra respeita as normas de acessibilidade e levou em conta a segurança dos profissionais  que trabalham no local, com o reforço das grades e estrutura das salas nas quais os detentos irão ser atendidos. “Aqui, os detentos vão receber um atendimento médico adequado e completo, com dignidade, e ainda garantindo segurança aos profissionais envolvidos”, disse Taís Chaves, arquiteta responsável pela obra.

COMENTÁRIOS