Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Homem participa de assalto a embarcação e aparece boiando
11/11/2018 00:44 em Notícias

 O corpo foi encontrado por uma ribeirinha na ilha das onças

 

Um corpo boiando foi encontrado, por volta das 9h deste sábado, 10, na baía do Guajará, no município de Barcarena, no Pará, e levado para o porto conhecido como "Seu Diniz", na beira mar da Vila da Barca, no Telégrafo, em Belém. O corpo era do torneiro desempregado Marcelo Costa Farias, 43 anos, que morreu com um tiro no pescoço. Ele morava na comunidade da Vila da Barca e estava desaparecido desde a madrugada de quinta-feira (08).

Segundo a esposa de Marcelo, Shirley Alves Reis, 38 anos, ele saiu de casa para assaltar uma embarcação, por volta das 2h da madrugada de quinta, e somente na manhã deste sábado, o corpo dele foi encontrado por uma moradora da ilha das Onças, que o reconheceu, embora o corpo estivesse inchado e em processo de decomposição.

"Ela achou o corpo dele, amarrou, comunicou algumas pessoas e a informação chegou até nós. Meu filho, que é enteado de Marcelo, conseguiu uma rabeta, foi lá, constatou que era o corpo de Marcelo e o trouxe pra cá pra beira mar. Ele foi convidado para fazer um assalto a um navio estrangeiro, que estava ancorado no meio do rio. Na hora do roubo ele não conseguiu escapar e os homens da embarcação que mataram ele. Ele não era de fazer isso, foi a primeira vez”, afirmou a esposa de Marcelo.

Quando o corpo foi deixado pelo enteado da vítima no porto do "Seu Diniz", como o local é conhecido pelos moradores, populares acionaram o Centro Integrado de Operações (Ciop) e policiais militares do 1º Batalhão de Polícia, da 1ª Companhia, chegaram na beira mar da Vila da Barca.

Segundo os policiais, Marcelo já era conhecido pela polícia como pirata, isto é, por envolvimento de assalto a embarcações, embora tivesse “dado um tempo” de cometer esse tipo de crime. Ainda segundo o 1º BPM, o Batalhão pediu apoio do Grupamento Fluvial (Geflu) para ajudar na investigação do caso.

Estiveram também no porto equipes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil e do Centro de Perícias Renato Chaves, que confirmou que Marcelo Farias levou somente um tiro no pescoço.

 

Por  Igor Mota / O Liberal

 

COMENTÁRIOS