Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Lucro da Vale cai 43% no 2º trimestre
29/07/2016 09:05 em Notícias

A Vale publicou nesta quinta-feira, 28, os resultados financeiros do segundo trimestre deste ano. A mineradora brasileira registrou um lucro líquido de R$ 3,58 bilhões de abril a junho, queda de 43,2% na comparação com o primeiro trimestre deste ano, cujo lucro líquido foi de R$ 6,31 bilhões. Segundo a empresa, a queda ocorreu devido à provisão de R$ 3,7 bilhões para a Samarco.

Na comparação com o lucro líquido do segundo trimestre de 2015, que foi de R$ 5,14 bilhões, houve uma queda de 30,3%. Segundo a mineradora, o Ebitda ajustado foi de R$ 8,341 bilhões no segundo trimestre deste ano, aumento de 8,5% ante o registrado no primeiro trimestre deste ano, principalmente em função do aumento no Ebitda do segmento de Minerais Ferrosos, de R$ 824 milhões, e do segmento de Metais Básicos, de R$ 37 milhões.

O Ebitda ajustado do segmento de Minerais Ferrosos foi de R$ 7,48 bilhões, 12% maior na comparação com o segundo semestre deste ano, devido aos maiores preços realizados e aos maiores volumes de venda, que foram parcialmente compensados pela variação cambial, segundo a mineradora.

O Ebitda ajustado de Metais Básicos subiu 3% na comparação do segundo trimestre deste ano com o primeiro trimestre, totalizando R$ 1,30 bilhão, “como resultado do melhor desempenho operacional que mais do que compensou o efeito negativo da variação cambial”, afirmou a Vale.

O Ebitda ajustado do segmento de Carvão foi negativo em R$ 389 milhões no segundo trimestre deste ano comparado com os R$ 358 milhões negativos no primeiro trimestre de 2016, uma queda de R$ 31 milhões, “como resultado da instabilidade geológica em Carborough Downs e parcialmente mitigado por menores volumes e pela variação cambial”, disse a mineradora.

O Ebitda ajustado de Fertilizantes diminuiu para R$ 113 milhões no segundo trimestre de 2016, em relação aos R$ 275 milhões registrados no primeiro trimestre do ano. Segundo a mineradora, isso se deve principalmente ao resultado dos efeitos negativos da variação cambial, impactando custos e receitas, além dos menores preços.

A receita operacional líquida da Vale foi de R$ 23,20 bilhões de abril a junho deste ano, crescimento de R$ 1,136 bilhão em comparação com o primeiro trimestre do ano, devido aos maiores volumes de venda de finos de minério de ferro, que geraram R$ 1,62 bilhão, e maiores preços de venda de finos de minério de ferro, que totalizaram R$ 452 milhões, e pelotas, R$ 344 milhões, sendo parcialmente mitigados pela variação cambial.

Os investimentos da mineradora totalizaram US$ 1,368 bilhão no segundo trimestre deste ano, representando uma redução de US$ 81 milhões em comparação com o primeiro trimestre de 2016. Os números dos investimentos estão em dólar mesmo na versão em real do relatório financeiro da Vale.

“Os investimentos na execução de projetos totalizaram US$ 905 milhões no 2T16, com investimentos relacionados ao projeto S11D totalizando US$ 540 milhões. Os investimentos na manutenção das operações existentes totalizaram US$ 463 milhões no 2T16, equivalendo a uma redução de US$ 66 milhões em relação aos US$ 529 milhões registrados no 1T16”, declarou a mineradora no relatório financeiro.

A Vale fechou o segundo trimestre de 2016 com uma dívida bruta de US$ 31,814 bilhões em 30 de junho de 2016, “registrando um ligeiro aumento em relação aos US$ 31,470 bilhões de 31 de março de 2016, principalmente em função do impacto do câmbio na conversão da parcela da dívida denominada em real para dólar. O impacto do câmbio foi parcialmente compensado pelos pagamentos líquidos de empréstimos de US$ 375 milhões no 2T16”.

A dívida líquida da mineradora caiu para US$ 27,508 bilhões em 30 de junho de 2016, contra US$ 27,661 bilhões em 31 de março de 2016, com uma posição de caixa de US$ 4,306 bilhões.

Fonte: NMB | Foto: Agência Vale

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!