Estudantes representam o Pará no Desafio Solar Brasil com o primeiro barco a energia solar
14/11/2017 - 0h14 em Notícias

Durante a competição, ao longo de cinco dias, totalizando sete provas (regatas) a única fonte de energia para movimentar as embarcações é a solar fotovoltaica, que deve ser gerada por módulos fotovoltaicos.

 

Especialistas dizem que a energia solar, além de limpa, é uma fonte de energia econômica e renovável. Pensando no desenvolvimento sustentável, a Equipe Solamazon desenvolveu o primeiro barco movido a energia solar do Pará e representará o Pará, de 18 a 22 de dezembro, no Desafio Solar Brasil (DSB), competição nacional de barcos solares, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro.

O barco é no formato “catamarã”, tipo de embarcação com dois cascos. São 6m de comprimento, 0,47m de altura e 2,4m de largura. Ele se destaca por sua elevada estabilidade e velocidade em relação às embarcações monocasco.

Para melhorar seu desempenho, o grupo se reúne no Espaço Náutico, na avenida Bernardo Sayão, ao lado da Universidade Federal do Pará, aos finais de semana e feriados, para reformar o barco e fazer ajustes nos sistemas hidráulico e elétrico do Bernadete I – nome dado em homenagem à professora da UFPA, Bernadete Souto, que incentivou os alunos a dar início ao projeto.

Segundo a coordenação do desafio, o projeto coloca em prática todo o conhecimento dos estudantes adquirido nas salas de aula em uma competição que tem como foco a educação pelo trabalho. Com isso, a competição não se torna uma simples corrida de barco, mas, sim, uma prova prática de conhecimentos em física, matemática, química, administração, náutica, comunicação e empreendedorismo.

 

Durante a competição, ao longo de cinco dias, totalizando sete provas (regatas) a única fonte de energia para movimentar as embarcações é a solar fotovoltaica, que deve ser gerada por módulos fotovoltaicos (doados pela organização do evento às equipes) e ser utilizada em conjunto com um banco de baterias e um motor elétrico.

O estudante de Engenharia Naval da UFPA Alece Maia, um dos fundadores do projeto do barco, iniciado em 2016, explica que o Desafio Solar Brasil consegue comtemplar várias áreas do conhecimento. “Envolve alunos de Engenharia Elétrica, Engenharia Naval, Mecânica, Gestão de Pessoas, entre outras. Nós construímos a embarcação juntos e depois ainda participamos da competição, que é um rally, junto com estudantes de vários estados”, diz.

 

O aluno explica que durante a competição a organização estabelece critérios às embarcações para que ninguém siga em desvantagem. “Todos os cascos são iguais e também tem que ser igual a quantidade de bateria utilizada, 1.5 kw/hora. As coisas que diferenciam na hora da corrida são o melhor arranjo elétrico e a melhor gestão da energia capturada por meio dos painéis solares”, explica.

Equipe Solamazon

Há cerca de um ano a Equipe Solamazon surgiu da vontade de alunos de desenvolver uma embarcação para participar do desafio. A equipe paraense é formada por estudantes de Engenharia Elétrica, Mecânica, Naval e Computação, Administração e Comunicação Social e conta com o apoio do Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Alternativas Energéticas (GEDAE), do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Energias Renováveis e Eficiência Energética da Amazônia (INCT-EREEA) e da Pró-reitora de Extensão da UFPA (PROEX). Ao todo, são 26 estudantes de diversas áreas do conhecimento que trabalham em prol do desenvolvimento sustentável e do reconhecimento da equipe pela comunidade geral.

Desafio Solar Brasil

O DSB 2017 é uma iniciativa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em parceria com o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social (Nides), a Secretaria de Esportes de Estado do Rio de Janeiro (ENEL) e a Prefeitura de Angra dos Reis, que, em conjunto, reúnem equipes de diversos estados do país em uma competição entre barcos elétricos movidos a energia solar.

 

O objetivo do desafio é estimular e popularizar o desenvolvimento de aplicações de novas tecnologias de fontes de energia limpa e renovável como combustível para a mobilidade, além de estimular a otimização do gerenciamento energético dos sistemas elétricos das embarcações.

 

Serviço: Participação da Equipe Solamazon no Desafio Solar Brasil 2017, de 18 a 22 de dezembro, em Angra dos Reis (RJ).

COMENTÁRIOS