Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Operação policial desarticula quadrilha que agia no Pará e Amapá
12/05/2022 13:50 em Notícias

Contas bancárias bloqueadas movimentavam cerca de R$ 60 milhões. Mandados de prisão estão sendo cumpridos

Com o objetivo de desarticular uma quadrilha acusada de tráfico de drogasassociação ao tráfico e lavagem de dinheiro em municípios do Pará Amapá, a Polícia Civil deflagrou, nesta quinta-feira (12), a operação “Metallum”. A ação, por meio da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), vinculada à Diretoria de Polícia Especializada (DPE), já prendeu três pessoas e bloqueou 12 contas bancárias que movimentavam cerca de R$ 60 milhões.

Durante as diligências policiais, foram apreendidos três veículos, aparelhos celularesdispositivos eletrônicos, quantias de dinheiro em espécie e diversos documentos. Todo o material apreendido será analisado.

Ao todo, estão sendo cumpridos 10 mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão. De acordo com o delegado João Costa, titular da Denarc, as investigações iniciaram em outubro de 2021, após a apreensão de 500 kg de cocaína no município de Capanema, no nordeste paraense.

"No curso das investigações, foi possível identificar um núcleo criminoso que realizava a abertura de empresas fantasmas para ocultar os recursos provenientes do tráfico de drogas. Os criminosos realizavam transferências milionárias entre si para obtenção de recursos de modo a não deixar vestígios." destacou o delegado.

Ao todo, a operação contou com a participação de 65 policiais civis das divisões estaduais de Narcóticos (Denarc), de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM) e da Diretoria de Polícia do Interior (DPI), 20 viaturas e com o apoio do Núcleo de Operações com Cães da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) e do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública do Amapá.

A PC destaca que as diligências vão continuar para prender outras pessoas envolvidas e apreender materiais que auxiliem nas investigações.

Fonte: Jornal "Amazonia"

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE