Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Águia vence Parauapebas
04/02/2016 09:43 em Esportes

Mesmo com placar magricela, Azulão marca três pontos e embola Grupo A1 do Parazão

 

No clássico dos municípios mineradores da região sudeste do Pará, melhor para quem vende cobre (Marabá), que venceu pelo magro placar de 1 a 0 o rei do ferro (Paraupaebas). A partida valia pela primeira fase do Campeonato Paraense de Futebol 2016

 

O jogo aconteceu na noite desta quarta-feira, 4, no estádio Zinho Oliveira, com a presença de um público razoável para a primeira partida do Azulão em casa.

 

E o gol da partida não saiu dos pés do experiente Flamel, nem dos atacantes Joãozinho ou Valdanes. Aos 19 minutos da etapa final, o ilustre desconhecido Érick, que estreava pelo Águia como meia, foi quem recebeu passe da direita e mandou a bola para dentro do gol, com um chute certeiro com a perna esquerda.

 

Erick, de apenas 19 anos, entrou no início do segundo tempo e mostrou boa movimentação. Ele é natural de Abel Figueiredo, a 92 km de Marabá, e foi contratado pelo Águia após uma passagem de dois anos pela Desportiva, de Belém.

 

O garoto, ainda com espinhas no rosto, fez um discurso de blá, blá blá do futebol. Ou seja, falou o óbvio, aquilo que a maioria dos atletas da modalidade faz: disse que treinou bastante, ganhou uma chance do “professor” Galvão e aproveitou bem, ajudando a equipe, que é o mais importante.

 

E o jogo?

 

Bem, o jogo foi mais favorável ao Águia na maioria da partida. No primeiro tempo, vários lances de perigo acabaram esbarrando na falta de pontaria dos atacantes.

 

O mesmo aconteceu na etapa final. Até Flamel levou as mãos à cabeça quando errou um chute que poderia balançar a rede do goleiro do Parauapebas.

 

O time do Águia, assim como em Belém, demonstrou cansaço nos últimos 15 minutos da partida e por pouco não levou empate do Paraupaebas.

 

Depois dos 45 minutos do segundo tempo, Roberto Ramalho, preparador físico começou a cobrar do 4º árbitro e do representante da Federação Paraense de Futebol o fim da partida. Depois, aos 48, Flamel e outros jogadores que já estavam no banco de reservas fortaleceram o coro e queixavam-se que o árbitro sequer tinha informado quantos minutos daria de acréscimo.

 

Quando o apito final soou no gramado, um alívio para toda a equipe, inclusive para o técnico João Galvão, que precisou mexer no time no intervalo porque o meia Geovani havia se machucado no começo da partida e não tinha mais condições de jogo. Ao colocar o garoto

 

O próximo compromisso do Águia de Marabá será contra o Cametá, no sábado, dia 13 de fevereiro, no Parque do Bacural, em Cametá. No dia seguinte, o Parauapebas recebe o São Francisco, às 16 horas, no estádio Rosenão, na Capital do Minério.

 

Depois do gol do Águia, o chororô tomou de conta de alguns membros da equipe do Parauapebas. Do vestiário, um dos integrantes da comissão falava palavras de baixo calão para o bandeirinha e quarto árbitro. Este último chegou a ameaçar o membro da comissão técnica do visitante, mas ficou por isso mesmo.

 

O Grupo A1, do qual o Águia de Marabá faz parte, está completamente embolado após as duas primeiras rodadas. Remo, São Francisco, Parauapebas e Águia têm três pontos, enquanto o Cametá não marcou nada ainda.

 

Também na noite de ontem, o São Francisco recebeu o Clube do Remo e não tomou conhecimento do Leão, que havia vencido o Águia de goleada na estreia. Resultado: vitória do time santareno por 1 a 0.

 

(Ulisses Pompeu)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!